Dermatoscopia e mapeamento corporal digital

A dermatoscopia é um método diagnóstico não invasivo, que usa uma lente de aumento associada à imersão (uso de gel, óleo ou outro líquido) ou filtros polarizados de luz para diminuir a refração da luz. Quando a refração da luz que incide sobre a pele é diminuía a níveis mínimos a epiderme (porção superior da pele) se torna translúcida, permitindo a visualização de estruturas na profundidade da pele, não visíveis ao olho nu.

A dermatoscopia pode ser feita com diversos equipamentos, sendo o mais comum o dermatoscópio. O dermatoscópio é um aparelho portátil e simples de usar que oferece um aumento fixo de 10 vezes. A dermatoscopia na mãos de pessoas experientes é uma excelente ferramenta no diagnóstico diferencial dos diversos tipos de câncer de pele.

A dermatoscopia aumenta a acurácia do diagnóstico, sendo bastante superior ao exame a olho nu. Pode ser empregada na diferenciação entre um nevo melanocítico, (pinta benigna) e um melanoma. Nem sempre é fácil diferenciar um do outro pelo exame a olho nu. A dermatoscopia traz uma série de novas informações que nos ajudam a diferenciar um do outro.

Fornece também importes informações microscópicas que auxiliam no diagnóstico do carcinoma basocelular, de lesões pré-malignas como as ceratoses actínicas e também na confirmação diagnóstica de lesões benignas, como as ceratoses seborreicas.

Existem alguns pacientes, com tantas pintas que fica impossível acompanhar a evolução destas pintas somente pela memória do médico. Para ajudar nesta situação temos o mapeamento corporal.

EM QUE CONSISTE O MAPEAMENTO CORPORAL

O mapeamento corporal consiste em fotografias digitais de alta resolução de todo o corpo em poses padronizadas, associado à dermatoscopia digital de nevos melanocíticos suspeitos.  As imagens são arquivadas em um software específico que permite a comparação em intervalos de tempo pré-estabelecidos.

As fotografias corporais têm duas funções principais:   1- servir como orientação para que o médico saiba quais foram as pintas seguidas por dermatoscopia digital, sendo as mesmas identificadas e numeradas. 2- acompanhar o aparecimento e/ou crescimento de nevos melanocíticos pelo corpo do paciente. Esta última função é extremamente importante, pois em pacientes com múltiplos nevos, fica impossível confiar somente na memória para fazer este seguimento.

Além das fotos corporais, algumas pintas selecionadas são seguidas pela dermatoscopia digital, sendo monitoradas em intervalos de tempo pré determinados. Após a dermatoscopia digital os nevos são classificados em baixo, moderado e alto risco. Os de alto risco são removidos e enviados para análise histológica (biópsia).

Os de moderado risco são seguidos em 3 meses. O seguimento dermatoscópico em 3 meses aumenta a sensibilidade e a especificidade da dermatoscopia no diagnóstico de melanomas, uma vez que apenas uma pequena porcentagem dos nevos pode mudar em 3 meses, mas quase 100% dos melanomas mudam em 3 meses. Desta maneira, caso haja mudança no acompanhamento neste período, a probabilidade de tratar-se de um melanoma aumenta, sendo indicada a retirada (exérese) da lesão. Com isso, reduz-se o número de cirurgias desnecessárias. O período de 3 meses é extremamente seguro, mesmo que a lesão monitorada seja um melanoma.

Os nevos classificados como baixo risco são seguidos em 12 meses, assim como as fotos corporais são repetidas a cada 12 meses.

Estamos reestruturando nosso site para te oferecer uma experiência ainda melhor!

Ok
X
Open chat
DRA. FABIANA DAMASCO
  • Graduação em Medicina pela Universidade de Brasília, UnB-DF – 2012
  • Residência Médica em Dermatologia Hospital Regional da Asa Norte. Brasilia-DF – 2016
  • Título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e pela Associação Médica Brasileira – 2016
  • Especialização em Oncologia Cutânea pela Universidade de São Paulo (HCFM-USP) e Instituto do câncer do Estado de São Paulo (ICESP) - 2017
  • Research Fellowship pela Universidade de Pittsburgh. Pittsburgh, EUA - 2018
  • Clinical Fellowship pelo Melanoma Institute of Australia e Sydney Melanoma Diagnostic Centre. Sydney, Australia - 2020
  • Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), da International Dermoscopy Society (IDS).
DRA. ANA REGINA FRANCHI TRÁVOLO
  • Título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
  • Membro efetivo Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD
  • Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica - SBCD
  • Membro da Sociedade Brasileita de Laser em Medicina e Cirurgia
  • Membro da International Association of Aesthetic Medicide
  • Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - FAMERP
  • Residência Médica em Clínica Médica e Dermatologia pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - FAMERP
  • Fellow em Dermatologia e Lase pelo Hospital Ramon Cajal - Espanha.
DR. LUCIANO FERREIRA MORGADO
  • Título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (Aprovação em 1º Lugar)
  • Membro efetivo Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD
  • Membro da Sociedade Brasileira de Cirgia Dermatológica - SBCD
  • Membro da Sociedade Brasileita de Lase em Medicina e Cirurgia
  • Membro da International Association of Aesthetic Medicide
  • Graduado em Medicina pela UNB - Universidade de Brasília.
  • Residência Médica em Clínica médica e dermatologia pela Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Pos Graduação em Cirurgia Dermatológica, Laser e Dermatologia Estética pela FM-ABC São Paulo
  • Aperfeitoçoamento em Tricologia - C. DermaHair - SP
  • Mestre pela Universidade de Brasília - UnB
  • Fellow em Cirurgia Micrográfica de Mohs no Centro de Cirurgia Micrógrafica do Rio de Janeiro / Santa casa de Misericórdia - RJ
DRA. JÚLIA KIPPERT

- Título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia;

- Membro efetivo titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD;

- Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD;

- Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR;

- Residência Médica em Dermatologia na Universidade Estadual de Londrina - UEL;

- Especialização em Cosmiatria Dra. Bruna Bravo no Rio de Janeiro;

- Fellow em Beleza Funcional;

- Pós-graduanda em tricoses e onicoses (cabelo e unha).

DRA. BRUNA CÔRTES

Graduação em Medicina na Universidade de Brasília.

Residência médica em Dermatologia no Hospital Universitário de Brasília.

Especialista em Radioeletrocirurgia e Indução percutânea de Colágeno com Agulhas.

Especialista em Dermatoscopia Avançada e Dermatopatologia.

DRA. TAINAH DE ALMEIDA

Graduação na Universidade Católica de Brasília (UCB), Brasília - DF

Residência Médica em Dermatologia no Hospital Regional da Asa norte (HRAN), Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF)

Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Médica Brasileira (AMB)

DRA. MARIANA QUEIROZ

Residência Médica em Clínica Médica pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - SP

Especialização em Dermatologia pela Universidade Lusíada - Santos - SP ( Credenciada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia