Melanoma

O melanoma é um câncer de pele que se origina nos melanócitos, as células que produzem a melanina, pigmento que dá cor à pele.

É o tipo de câncer da pele mais perigoso, pois pode produzir metástases, se espalhando mais facilmente e mais rapidamente do que os outros, com grande potencial de letalidade.

Por isso, é de grande importância que o seu diagnóstico seja feito o mais cedo possível pois, se retirado antes de produzir metástases, ele é totalmente curável.

Sua incidência é pequena se comparada ao carcinoma basocelular e ao carcinoma espinocelular, contundo, vem aumentando muito nas últimas décadas, estima-se um aumento de 3% a 7% a cada ano, com a incidência dobrando a cada 10 a 20 anos. Apesar de uma incidência menor que a dos outros cânceres de pele é o que causa maior número de óbitos, sendo que 75% das mortes causadas por câncer de pele se devem ao melanoma.

O melanoma é um tumor de pessoas jovens, 50% dos casos ocorrem em pessoas com menos de 55 anos, 30% ocorrendo em pessoas abaixo de 45 anos. Os casos na infância são raros, ocorrendo em geral associados a nevos melanocíticos congênitos gigantes. Melanoma ocorre em todos os grupos raciais, sendo mais comum nos indivíduos de pele clara.

Principais fatores de Risco

  • Pele clara: Melanoma é extremamente mais comum em pessoas brancas. Em populações de pele negra a incidência é menor que 1 caso em 100.000, chegando a 50 casos em 100.000 em população de pele clara, em locais como a Austrália.  
  • Múltiplos nevos melanocíticos (pintas): Nevos melanocíticos são potenciais precursores de melanoma, ou seja, podem se transforma em melanoma. Contudo, nevos melanocíticos múltiplos são marcadores de risco para melanoma. Pessoas com muitas pintas têm um risco maior de desenvolver melanoma. De forma prática, 50 ou mais pintas já indicam um risco maior. Se você tem muitas pintas, procure regularmente um especialista.
  • História familiar:  Aproximadamente 10% dos pacientes diagnosticados com melanoma têm uma pessoa na família que já teve melanoma. História familiar de melanoma é o fator de risco isolado mais importante para o desenvolvimento de um melanoma. Logo, se na sua família alguém já teve melanoma: Proteja-se do sol e procure regularmente um especialista.
  • Exposição à radiação ultravioleta: A exposição solar intensa intermitente (expor-se ao sol poucas vezes ao ano, mas em grande quantidade em cada exposição), e não a exposição crônica, está mais relacionada ao aparecimento de melanomas. Acredita-se que a infância é o principal período de risco à exposição solar no que diz respeito à gênese do melanoma. História de queimaduras solares na infância e adolescência, levando a bolhas, é um fator de risco importante no aparecimento de melanomas na vida adulta.

Como identificar o melanoma?

O melanoma é geralmente uma lesão enegrecida, escura. O melanoma se inicia por uma lesão plana somente mancha), que com o tempo pode  formar nódulos ou feridas. Existe uma falsa impressão de que somente lesões elevadas na pele podem ser câncer. Melanomas no começo são planos e é nesta fase que é ideal fazer o diagnóstico.
 Pode surgir de lesões pré-existentes (pintas ou sinais), portanto, toda lesão pré-existente que sofrer alguma alteração deve ser prontamente examinada por um médico dermatologista.  

 REGRA DO ABCDE PARA DIAGNÓSTICO DO MELANOMA

  • Assimetria: Os melanomas tendem a exibir uma assimetria de cores e forma.
  • Bordas: Os melanomas apresentam bordas irregulares, com final abrupto da pigmentação. Cores: Nos melanomas, predominam as cores escuras e/ou a presença de várias cores em uma mesma lesão (preto, marrom claro, marrom escuro, cinza-azulado, vermelho e branco). 
  • Diâmetro: O crescimento rápido é uma das principais características do melanoma, o que leva a lesões de diâmetros maiores. Como regra diâmetros maiores que 6 milímetros levam a uma suspeita maior de lesão maligna.. Lembrando sempre que existem melanomas de diâmetro menor e quanto mais precoce o diagnóstico melhor. 
  • Evolução: Toda pinta que mudar (mudança de cor, formato, relevo) em curto período de tempo (1 a 3 meses) deve ser examinada por um dermatologista.
Open chat