Famosos procedimentos de bronzeamento por fitas necessitam de cuidados

Exposição contínua ao sol pode causar queimaduras. Uso do protetor solar é importante

As tão desejadas férias têm como sinônimo, viagem, passeios e aproveitar a vida intensamente. Muitas mulheres aproveitam para buscar um bronze perfeito e, em alguns casos, determinados procedimentos podem ser nocivos à pele. Os bronzeamentos marcados por “fitas” podem causar maior penetração dos componentes da fita na pele e, por conta da exposição excessiva ao sol por longos períodos, podem causar queimaduras.

Para a médica dermatologista Ana Regina Trávolo, com essa exposição contínua podem ocorrer manchas tanto escuras quanto claras. “Entre as escuras podemos citar o melasma e as melanoses ou manchas senis. Entre as brancas, a mais comum é a leucodermia solar (popularmente chamada de sarda branca), que são diminutas manchas brancas que surgem nos antebraços e canelas de pessoas cronicamente expostas ao sol”, exemplifica.

Além disso, podem surgir lesões de câncer de pele, como o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e o melanoma. Podem ainda ocorrer as queimaduras solares, a depender da sensibilidade individual da pessoa ao sol, resultando em desidratação aguda, o que acarreta risco à saúde.

A dermatologista alerta e orienta que o ideal é não fazer a exposição solar entre às 10h da manhã e 16h da tarde, horário com maior incidência de raios solares. Os produtos que são utilizados com o objetivo de acelerar o bronzeamento devem ser observados e verificados seus registros na ANVISA, visto que pode causar danos a pele. “Conhecer o produto também ajuda a verificar se a pessoa tem algum tipo de alergia aos seus componentes. Recomenda-se também utilizar protetor solar durante as sessões, principalmente em áreas nobres como a face, colo e dorso das mãos”, orienta.

Mesmo que esse procedimento de utilização do protetor solar retarde um pouco o resultado, é importante a utilização para minimizar os riscos de queimaduras solares e de manchas.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Open chat
DRA. JÚLIA KIPPERT

- Título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia;

- Membro efetivo titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD;

- Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD;

- Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR;

- Residência Médica em Dermatologia na Universidade Estadual de Londrina - UEL;

- Especialização em Cosmiatria Dra. Bruna Bravo no Rio de Janeiro;

- Fellow em Beleza Funcional;

- Pós-graduanda em tricoses e onicoses (cabelo e unha).

DRA. BRUNA CÔRTES

Graduação em Medicina na Universidade de Brasília.

Residência médica em Dermatologia no Hospital Universitário de Brasília.

Especialista em Radioeletrocirurgia e Indução percutânea de Colágeno com Agulhas.

Especialista em Dermatoscopia Avançada e Dermatopatologia.

DRA. TAINAH DE ALMEIDA

Graduação na Universidade Católica de Brasília (UCB), Brasília - DF

Residência Médica em Dermatologia no Hospital Regional da Asa norte (HRAN), Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF)

Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Médica Brasileira (AMB)

DRA. MARIANA QUEIROZ

Residência Médica em Clínica Médica pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - SP

Especialização em Dermatologia pela Universidade Lusíada - Santos - SP ( Credenciada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia