Verrugas Virais

As verrugas virais são lesões causadas pelo papilomavírus humano (HPV). São autoinoculáveis (podem se disseminar pela pele através do contato das lesões com áreas não atingidas) e transmitidas pelo contato direto com pessoas contaminadas.

Manifestações Clínicas

As verrugas podem se apresentar com diversos aspectos clínicos, a depender de sua localização no corpo. Entre as principais formas temos:

Verruga vulgar: localizadas na superfície normal da pele, as lesões são elevadas, endurecidas, de superfície áspera e coloração esbranquiçada. Algumas apresentam pontilhado escuro. Isoladas ou coalescentes, podem variar de milímetros a centímetros de diâmetro. As áreas mais atingidas são as extremidades dos membros, sendo muito frequentes nas mãos, cotovelos e joelhos. Mais facilmente encontradas nas crianças e adolescentes.

Verruga periungueal: são as verrugas vulgares que se localizam ao redor das unhas. Devido ao fato de se penetrarem para dentro da prega ungueal, este tipo de verruga pode ser de tratamento mais difícil.

Verruga plana: as lesões são pequenas, de superfície plana e em grande número. As regiões mais atingidas são a face e os membros. Mais frequentes em adolescentes.

Verruga plantar: localizadas nas plantas dos pés, estas lesões crescem para dentro da pele, devido ao peso do corpo impedir o seu crescimento para fora. São, muitas vezes, confundidas com calosidades, porém, quando raspadas, as lesões mostram uma superfície irregular e pontos escuros no seu interior, o que as diferencia dos calos. As maiores costumam ser dolorosas ao pisar.

Verruga filiforme: mais frequente na face e no pescoço, este tipo de verruga forma lesão digitiforme (semelhantes a um dedo) que se projeta da superfície da pele. É mais facilmente encontrada nas pessoas idosas.

Verruga genital ou condiloma acuminado: este tipo de verruga é encontrada na região genital ou perianal. As lesões são mais macias e, quando localizadas nas mucosas, podem ser úmidas. A coloração varia de esbranquiçada a escura e o tamanho de pequeninos pontos a grandes lesões vegetantes (aspecto de couve-flor). Mais comum em adultos, pode ser adquirida por transmissão sexual.

Tratamentos

Nos casos mais leves podem ser usados medicamentos contendo ácidos para uso em casa. As verrugas de mucosas também respondem bem a medicamentos imunomoduladores tópicos, que estimulam a própria imunidade local do organismo para eliminar as verrugas. Todavia, nos casos mais intensos e em verrugas maiores e verrugas plantares, o melhor tratamento consiste na sua destruição em consultório. Entre os métodos podem ser utilizadas a eletrocoagulação e curetagem, a cauterização química das lesões (uso de substâncias cáusticas sobre as lesões), a criocirurgia (destruição das lesões por congelamento com nitrogênio líquido) e a MMP (microinfusão de medicamentos na pele) com bleomicina. A escolha do melhor método deve ser feita pelo dermatologista, que vai avaliar as características da pele do paciente, a localização e tamanho da verruga e os tratamentos já realizados.

Open chat
DRA. JÚLIA KIPPERT

- Título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia;

- Membro efetivo titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD;

- Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD;

- Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR;

- Residência Médica em Dermatologia na Universidade Estadual de Londrina - UEL;

- Especialização em Cosmiatria Dra. Bruna Bravo no Rio de Janeiro;

- Fellow em Beleza Funcional;

- Pós-graduanda em tricoses e onicoses (cabelo e unha).

DRA. BRUNA CÔRTES

Graduação em Medicina na Universidade de Brasília.

Residência médica em Dermatologia no Hospital Universitário de Brasília.

Especialista em Radioeletrocirurgia e Indução percutânea de Colágeno com Agulhas.

Especialista em Dermatoscopia Avançada e Dermatopatologia.

DRA. TAINAH DE ALMEIDA

Graduação na Universidade Católica de Brasília (UCB), Brasília - DF

Residência Médica em Dermatologia no Hospital Regional da Asa norte (HRAN), Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF)

Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Médica Brasileira (AMB)

DRA. MARIANA QUEIROZ

Residência Médica em Clínica Médica pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - SP

Especialização em Dermatologia pela Universidade Lusíada - Santos - SP ( Credenciada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia